17 de fev de 2009

Nossa! Ela é gente!


Sempre com aquele olhar altivo, como quem enxerga tudo de cima, a voz firme e segura que sabe muito bem o que fala, assim era ela, a bem sucedida diretora de marketing de uma grande companhia multinacional.

Responsável por uma equipe de muitos profissionais, a mulher não deixava a desejar em nenhum aspecto, comandava brilhantemente as reuniões semanais que direcionava o trabalho de sua equipe durante toda a semana, sempre com idéias surpreendentes e uma energia de dar inveja.

Não era para menos, a alta executiva era a única mulher a compor a mesa diretora da companhia, que, digamos, era um tanto reservada quanto à posição feminina em cargos de alto nível. Mas essas diferenças ela tirava de letra, porque para ela, simplesmente não existia homem ou mulher, ela parecia não ser representada por sexo nenhum! E assim, apresentava-se nas maçantes reuniões de cúpula, onde as mais importantes decisões eram tomadas - direcionamentos que conduziam a vida de mais de 20 mil pessoas, apenas neste país.

Não que ela fosse masculina, vestia-se elegantemente como uma mulher; era casada e até tinha filhos, mas tinha algo a mais que homens e mulheres comuns não têm, alguma coisa que a colocava em uma posição diferenciada em relação aos seres humanos normais.

Ah, tem um detalhe importante: acho que ela não comia. Durante o horário de almoço, toda a equipe se revezava e saía para almoçar, mas ela sempre ficava em sua ampla sala, sozinha; concentrada; quase que em estado de meditação. É, acho que ela não comia!

A rotina era intensa, reuniões durante quase o dia inteiro, o planejamento das ações era praticamente a todo momento, porque naquela empresa tudo mudava de um dia para o outro, e isso a irritava muito, mas como ela não era gente comum, sempre conduzia tudo da melhor forma possível e o resultado era de cair o queixo.

Chegava a ser engraçado. Alguns trabalhos eram feitos de uma hora para a outra, a equipe inteira se mobilizava, sempre tinha uns estresses e discussões pelo caminho, mas quando chegava o momento de apresentar o resultado, lá estava ela, com os dados na mão e uma excelente apresentação na cabeça. Fechava os olhos, respirava fundo, posicionava a voz e apresentava de forma tão profissional que parecia ter sido planejado no semestre anterior.

Até que um dia, em uma daquelas reuniões com a equipe, em um daqueles trabalhos que não permite erros nem tempo pra vida pessoal, ela olhou para todos e com sua voz firme e segura, concluiu a reunião:

- Temos pouquíssimo tempo pra esse projeto, preciso muito do empenho de vocês. Todos devem se organizar. Não percam tempo com atividades que não são prioritárias. Devemos otimizar o nosso tempo da melhor forma possível e fazer todo o trabalho durante o expediente. Não quero ver ninguém aqui na empresa trabalhando dia e noite - exceto em casos extremos - já fizemos muito isso em projetos anteriores, senão como vamos arrumar tempo pra ir ao salão fazer nossas unhas, cabelo, depilação... Como vamos arrumar tempo pra cuidar de nós?!

Foi aí que percebi: - Nossa! Ela é gente!

3 comentários:

Ronald Gonçales disse...

Olá, Sandra. Sempre muito bom o seu blog! Torço muito por você. Muito mesmo. Beijão.

Sandra Alves disse...

Oi Ronald!
Adorei sua visita!!!
E muito, muito obrigada rs. O desejo é recíproco.
Grande beijo

Anônimo disse...

Isso é tudo?