25 de jan de 2010

Porque não assisto


Uma simples pergunta me fez avaliar os últimos meses da minha vida.

“Você está assistindo o BBB?”

Minha última crônica foi escrita há cinco meses. As aulas de inglês acumulam mais faltas que presenças. Há três meses, minha amiga Lara me convidou pra botar o papo em dia, prometi um reencontro no início do novo ano, ainda sem data concreta.

O desejo de começar uma nova pós-graduação corre o risco de ficar enrustido. Tia Cida faz questão da minha presença no casamento da filha da prima Elizabete, em Minas Gerais. Pena que no mesmo dia tenho a formatura da amiga Shirley, em Limeira e, caso fique por aqui, conseguirei dar uma passadinha antes no aniversário de um ano da filha da Kátia e, no domingo, fazer uma visita pra amiga Dani, que acabou de fazer uma cirurgia.

Será que esse ano conseguirei, finalmente, me dedicar à fotografia? Não sei não... porque as aulas de tecido aéreo terão que esperar mais um pouco. Pelo menos se eu conseguir cumprir o treino de musculação durante a semana, já será um grande avanço.

A consulta do Piti, na veterinária de Valinhos, já foi adiada umas três vezes, com isso a catarata já tomou os dois olhos do bichinho, mas desse mês não passa. Pelo menos a limpeza no guarda roupa já fiz no primeiro dia do ano. Ah, nada melhor que iniciar uma nova fase abrindo mão do que não me serve mais. Renova as energias e abre espaço pras novas conquistas.

Mas quando penso que há seis meses comprei o livro “A mulher do próximo”, de Gay Talese, em plena FLIP, com autógrafo e tudo, e ainda não li... Aposto que o Shiraga já leu o dele, porque a Amanda me disse que terminou a leitura em dezembro.

Bom, seu eu for mensurar aqui os filmes que não assisti. Aliás, Paulo, preciso confessar que ainda não vi “O declínio do império americano”, do diretor Denys Arcand, que você me indicou depois que comentei ter adorado “As invasões bárbaras”. Mas pelo menos está em minha lista de filmes a serem vistos, juntamente com “Os sonhadores” e uma porção de outros títulos.

E como a ideia do trabalho voluntário com as crianças daquela comunidade carente ainda não saiu do papel, acho que já está explícito o porquê não assisto o BBB.

Um comentário:

Fábio Shiraga disse...

Eu ainda não li o meu livro autografado do Gay Talese. Mas tô lendo alguns no momento. E lembra daquela pilha de jornais com matérias que eu queria ler? Acabou!!! Matérias lidas e jornais reciclados!

O filme que o Paulo recomendou, deve ter na Topos. Eu acho que peguei lá. O Invasões Bárbaras é o segundo, né? Ou o primeiro? Porque o segundo tem nas Lojas Americanas.